Suicídio

Suicídio

  • 70% dos suicídios ocorrem em decorrência de uma fase depressiva.
  • Pessoas mais velhas se suicidam mais que as mais jovens.
  • Quanto mais planejado, mais perigoso no sentido de haver novas tentativas, caso essa não dê certo.
  • Tentativas em homens são quase sempre mais graves, mais brutais e mais bem sucedidas do que em mulheres.
  • Qualquer distúrbio Neuropsiquiátrico mais Álcool aumenta o risco de suicídio.
  • Qualquer distúrbio (Depressão, Ansiedade, Psicose, etc.) mais os seguintes fatores aumentam o risco: isolamento social, falta de amigos, não ser casado, não morar com uma outra pessoa, não ter filhos, não ser religioso.
  • O provérbio "cão que ladra não morde" não existe em suicídio. Pelo contrário, 90% de quem tenta, avisou antes.
  • Quem fez uma tentativa tem 30% a mais de chances de repetir do quem nunca tentou.
  • Nos casos de Psicoses agudas com pensamentos suicidas, ou Depressões Delirantes com idéias de suicídio, caso não seja possível hospitalizar o paciente, se o medico disser que o Acompanhante tem que vigiar todo o tempo, isso quer dizer até mesmo quando estiver no banheiro. Quer dizer janelas trancadas, quer dizer todas as armas, venenos, comprimidos, facas, garfos, fios, etc. fora do alcance. Quer dizer que o Acompanhante tem que ser fisicamente mais forte que o paciente e quer dizer que se o Acompanhante tiver que ir ele mesmo ao banheiro, primeiro tem que chamar um substituto igualmente ágil e forte.
  • Muitos jovens já perderam a vida numa distração de segundos do Acompanhante. A grande maioria desses jovens poderia estar viva, pois o tratamento desses quadros agudos traz resultados logo nos primeiros dias.

Depoimento

Para os suicidas de plantão que não vêm saída, recomendo um livro que salvou minha vida: memórias de um suicida - yvone pereira. Não há remédio melhor. Luciana

Depoimento

Gostaria de saber se existe alguma maneira de saber se o tratamento está alcançando o resultado desejado ou não. Se é apenas uma questão de perseverança com a atual orientação que estou recebendo, ou se seria uma boa idéia procurar novas opções para encontrar resultados mais rápidos. Tenho 29 anos. Tentei suicídio há cerca de três meses, passei por um tratamento de ect, continuo com acompanhamento de dois psiquiatras (um para o tratamento clínico, e um para a psicoterapia). Considero-me uma pessoa extremamente ansiosa, e o stress com o trabalho vem piorando minhas crises de depressão. Sempre fui uma pessoa bastante insegura, mas com a morte do meu pai no ano retrasado, que inclusive era médico e cuidava de mim em todos os aspectos da minha vida, tenho me sentido cada vez mais sem apoio para a solução positiva destas minhas idéias suicidas. Apesar do acompanhamento psicológico, não acho que vou conseguir evitar outras tentativas, o que me assusta profundamente. Fiz uma visita no mês passado a um pa , com uma descompensação diabética, e sei que meu pouco caso em relação ao tratamento deve-se também à depressão. Todos os profissionais com quem estou atualmente mantendo tratamentos médicos foram muito bem recomendados, sendo até dois deles da equipe do pa. Com estas credenciais, deve ficar meio claro que estou gastando muito dinheiro com todos esses tratamentos, pois estou arcando com todos os custos. Não tenho condições de seguir neste ritmo de despesas, por isso gostaria de saber se pelo menos está valendo a pena.

Sei que esta não é a melhor forma de conseguir a informação que necessito para estas decisões, mas não estou em condições de sair caçando novas opções terapêuticas. Sinto que o método psicanalítico adotado pelo meu atual terapeuta está me deixando ainda mais insegura e duvidosa em relação ao futuro, mas como esta é minha primeira experiência deste tipo, não sei se este é apenas um passo que deve ser superado ao longo do tratamento, ou se não deveria ser este o resultado das sessões.

As sua perguntas são ótimas, a minha resposta nem tanto ... Bom, como avaliar se os tratamento estão dando certo no seu caso é muito difícil, porque pelo que senti lendo seu e-mail não se trata de uma depressão clínica, endógena, daquelas químicas mesmo, que você começa a tratar hoje e sabe que daqui a no máximo 6 semanas estará boa. Parece que existem fatores emocionais importantes, e isso é bem mais complicado e longo para tratar. Não sei que remédios vc está tomando, de qualquer forma, um remédio leva de 3 a 6 semanas para agir. Com relação à terapia, já que é longa, vc tem todo o direito de conversar com seu terapeuta e fazer um planejamento de tempo e financeiro. Jogo aberto e bem claro. Mas ela não deveria estar te trazendo insegurança, como vc escreve. Bem, não seu se ajudei muito, espero que sim. Mais concreto do que isso, só conhecendo vc pessoalmente.

Gostaria de saber se e possível que exista alguma relação ou porcentagem entre síndrome pré-menstrual e suicídio.

Não sei. Mas se uma mulher sofrer de depressão, esta será quase sempre pior no pré menstrual.